sexta-feira, 5 de março de 2010

O "boom" nos musicais-1930 - 2ªparte



Surgiram grandes vozes como a de Mario Lanza que foi outro grande tenor, que se converteria numa das vozes mais potentes dos filmes “The Toast of New Orleans”(Nas Redes do Amor) ao lado de Kathryn Grayson que foi um dos seus melhores. Ele fez apenas 07 filmes, mas sua interpretação de Caruso ficou na história.
“The Toast of New Orleans”(de 1950)



http://www.youtube.com/watch?v=EHHeX7YxsYY&feature=player_embedded
Outros destaques foram Bing Crosby, com filmes como “ Anything goes" (Fuzarca a Bordo)1935, “The Bells of St. Mary's"(Os Sinos de Santa Maria) e “High Society”(Alta Sociedade),este com Frank Sinatra,Grace Kelly, Louis Armstrong e Celest Holm.

Bing Crosby, começou sua carreira no cinema com papéis de destaque em uma série de pequenas comédias de Mack Sennett. Depois de suas gravações e séries de rádio, decolou para o cinema no início dos anos 1930, e a Paramount mostrou o seu valor em "The Big Broadcast" (1932).
Crosby, estrelou numa série de musicais e comédias repletas de canções. Ele ganhou milhões com títulos como" Mississippi "(1935), "Pennies From Heaven" (1936) e "Sing You Sinners" (1938). Muitas vezes medíocres, esses filmes eram populares graças a Crosby como personagem na tela, e seu timbre barítono quente fez o sucesso de muitas canções, incluindo "Temptation", "Pennies From Heaven" e "Blue Hawaii".

"Swinging on a Star"


http://www.youtube.com/watch?v=iTUKHMlbYGA&feature=player_embedded

"Temptation"


http://www.youtube.com/watch?v=NtUBYLMxtXY&feature=player_embedded


Outra cantora das estrelas musicais no estúdio MGM na década de 1930 , vinda da Broadway, foi a glamurosa sapateadora Eleanor Powell, que estrelou uma série de populares filmes musicais. Durante sua longa carreira, ela dançou com Fred Astaire. Um dos seus melhores filmes é o "Born to Dance"( Nascida para Dançar) (1936) com Powell em seu primeiro papel de filme sapateando a bordo de um navio de guerra.

"The Broadway Melody" de 1938 (1937), é um filme em que os solos de Eleanor Powell foram ofuscados por uma jovem, a Judy Garland (seu nome original era Frances Gumm, em sua primeira longa-metragem) cantando e dançando com Buddy Ebsen e cantando o clássico "You Made Me Love You" com uma foto de Clark Gable(Dear Mr. Gable).



http://www.youtube.com/watch?v=nqzCWjWLTY4&feature=player_embedded

Outros filmes de Powel são: "Honolulu" (1939), em que Powell faz um hula-estilo de sapateado; "The Broadway Melody de 1940" (1940), um dos melhores de Powell, com um prazo de seis minutos de sapateado com Fred Astaire na melodia de Cole Porter "Begin the Beguine"; "Lady Be Good" (1941), com canções de George Gershwin; "Ship Ahoy" (1942) e "Sensações" de 1945 (1944) - último filme estrelado por Powell.

"Honolulu"


http://www.youtube.com/watch?v=aCK3VbA8vt0&feature=player_embedded

"The Broadway Melody de 1940"


http://www.youtube.com/watch?v=lTN-NPtNOHU&feature=player_embedded

Com exceção do Columbia Studios, que começou na década de 1930 como um pequeno estúdio, e o que foi inicialmente incapaz de investir em musicais, todos os outros grandes estúdios de Hollywood, da década de 1930, desenvolveram o seu próprio estilo particular de filme musical, e seu próprio 'cast' de estrelas musicais. Era quase como se os executivos de cada estúdio sentissem sua fórmula de musical como uma espécie de talismã que iriam lhes garantir o sucesso.

E o Eddie Cantor, ou Banjo Eyes, nascido Edward Israel Iskovitz ? Ele já tinha aparecido em uma série de curtas-metragens (gravação dele tocando músicas em suas loucuras e rotinas de comédia) e a ele foi oferecido a liderança no "The Jazz Singer" quando foi rejeitado por George Jessel. Cantor também a recusou, e por isso este número foi para Al Jolson, mas ele se tornou uma estrela de Hollywood em 1930 com a versão cinematográfica de "Whoopee!". Durante as duas décadas seguintes, ele continuou a fazer filmes: "Palmy Days" (1931), "The Kid from Spain" (1932), "Roman Scandals" (1933), Milhões "Kid" (1934), "Strike Me Pink" (1936), "Ali Baba Goes to Town" (1937), "Forty Little Mothers" (1940), "Thank Your Lucky Stars" (1943), "Hollywood Canteen" (1944), "Show Business" (1944) até 1948, com seu último filme, "If You Knew Susie".



http://www.youtube.com/watch?v=InTuAeGjr4M&feature=player_embedded



http://www.youtube.com/watch?v=285-qOZjt2g&feature=player_embedded

A parceria criativa Cantor & Goldwyn continuou a ser um ponto alto nas duas carreiras, mas Cantor aliviado, longe de filmes na década de 1940, concentrando-se no rádio e na televisão, saiu cedo do cinema.

Alguns estúdios tinham suas próprias atrações musicais e, nos meados da década de 1930, foi a Twentieth Century Fox que assumiu os rumos da talentosa e encantadora criança Shirley Temple como sua atração principal nos filmes musicais.

Shirley Temple foi de longe a mais famosa estrela infantil de todos os tempos. Ela poderia fazer tudo: agir, cantar e dançar e tudo isso na idade de cinco anos! As fãs amavam-na do jeito como ela era brilhante, saltitante e alegre em seus filmes e estes foram explorados e consumidos em produtos que ornamentavam sua figura de cabelos em cachinhos (tinha 50 cachos dourados). Bonecas, discos de vinil, canecas, bonés, vestidos, qualquer que fosse o objeto com sua imagem era vendido. Em 1939, sua popularidade diminuiu. Embora tenha estrelado em alguns filmes de bom gosto como "Since You Went Away"(Desde que Partiste)de 1944 e "The Bachelor and the Bobby-Soxer"(Solteirão Cobiçado) de 1947, sua carreira estava chegando ao fim. Em adulta saiu do cinema e assumiu o cargo de embaixatriz de Gana e da Checoslováquia.


Alguns filmes de Shirley Temple:
"The Little Colonel The Little Colonel "- (A Mascote do Regimento) (David Butler)1935 -com sua seqüência de famosa dança na escadaria

"Fort Apache" (Sangue de Heróis)-1948-

"Since You Went Away"(Desde Que Partiste) (John Cromwell)1944

"The Bachelor and the Bobby-Soxer"(Solteirão Cobiçado) (Irving Reis)1947

"Heidi "(Allan Dwan)1937- inclui uma sequência de sonhos na Holanda com o canto de "In My Little Wooden Shoes"

"Little Princess"(A Princesinha) (Walter Lang)1939 - seu primeiro longa-metragem Technicolor

"Stowaway"(A Pequena Clandestina) (William A. Seiter)1936 - como um personagem chamado Ching-Ching, órfãs e ociosos, em Xangai, na China, em um navio com destino a San Francisco

" Little Miss Marker"(Dada em Penhor) (Alexander Hall)1934

"Poor Little Rich Girl"(A Pobre Menina Rica) (Irving Cummings)1936- um remake do filme de Mary Pickford de 1917, co-estrelado por Alice Faye

"Wee Willie Winkie"( A Queridinha do Vovô) (John Ford)1937

"I'll Be Seeing You"( Ver-te-ei Outra Vez) (William Dieterle)1944

"Curly Top"( A Pequena Órfã) (Irving Cummings)1935 -como moradora de um orfanato

"Dimples"( Princezinha das Ruas" (William A. Seiter)1936.



http://www.youtube.com/watch?v=RTwiLsOFH4A&feature=player_embedded



http://www.youtube.com/watch?v=wNwFXLcrsbc&feature=player_embedded



http://www.youtube.com/watch?v=AjCFYpWDmfM&feature=player_embedded



Para o público adulto, a cantora e bailarina Alice Faye estrelou sucessos como: Anjo ou Demônio (Otto Preminger)1945; Epopéia do Jazz (Henry King)1938; Entre a Loura e a Morena (Busby Berkeley)1943; Uma Noite no Rio (Irving Cummings)1941 e tantos outros. Considerada mais como cantora do que atriz, Faye cravou o que disseram muitos criticos, a sua melhor atuação no filme "In Old Chicago" de 1937.

Filmes como "Week-End in Havana" e "That Night in Rio" (ambos com Carmen Miranda), fez bom uso da forte voz de Faye, de canções românticas, sérias e até as animadas.



http://www.youtube.com/watch?v=l_0XoB-NT14&feature=player_embedded



http://www.youtube.com/watch?v=4P1G9N4vOsc&feature=player_embedded



http://www.youtube.com/watch?v=pg5fhQpJR_c&feature=player_embedded

Em 1939 surgiu, como já foi falado antes, um dos musicais clássicos mais amados da história do cinema que estreou com sucesso. "The Wizard of Oz" (O Mágico de Oz) ganhava as telas no segundo semestre de 1939 e iniciava uma trajetória de prêmios importantes (ganhou 2 Oscar e foi indicado à Palma de Ouro em Cannes), com canções memoráveis (Over The Rainbow, por exemplo) e referências que povoam até hoje a cultura pop, como a estrada de tijolos amarelos e os sapatinhos vermelhos de Dorothy.

A voz linda de Judy Garland.Clique.
http://www.youtube.com/watch?v=Kn8-oaj7wG0



http://www.youtube.com/watch?v=bAW0pYCgb0s&feature=player_embedded

Agora, com novas tecnologias que vale a pena ver...


http://www.youtube.com/watch?v=1qz3B1_N3oE&feature=player_embedded



http://www.youtube.com/watch?v=YA2PubOMO2o&feature=player_embedded

Mas não se pode esquecer que surgia nesta época o Fred Astaire, que formou com Ginger Rogers o mais perfeito e invejado par na história dos musicais. Os dois dançam a música “cheek to cheek”, de Irving Berlin, em"Top Hat"( O Picolino) (1935), e nós sonhamos, assim como a protagonista do filme de Woody Allen, em "A Rosa Púrpura do Cairo" (1985), a qual procurando esquecer-se das tristezas do seu dia, assiste ao filme e vai aos poucos, do seu rosto tristonho se descontraindo até adquirir uma expressão de puro encantamento, com a qual Woody Allen encerra o filme.



http://www.youtube.com/watch?v=MYLFCsPC3RQ&feature=player_embedded

Fred Astaire & Ginger Rogers - Smoke Gets in Your Eyes. Mais uma belíssima cena de dança imortalizada pelo grande casal desta época do cinema.



http://osmusicaisdomundo.blogspot.com/2010/02/febre-dos-musicais.html

Astaire reinará sozinho como o dançarino número um do cinema até a ascensão, nos anos 40, de Gene Kelly. Com a ressalva de que o estilos de ambos eram bem diferentes: enquanto Astaire representava o modelo clássico, Kelly incorporava um estilo mais popular e atlético. De qualquer forma, ambos participaram de maneira decisiva da fase de ouro do gênero, nos anos 40 e 50. Gene Kelly e Frank Sinatra também eram irresistíveis juntos: “Take me out to the ball game”(A Bela Ditadora)1949 de Busby Berkeley, “Anchors aweigh” (Marujos do Amor)1945 de George Sidney e “On the Town” (Um Dia em Nova Iorque), o primeiro musical com cenas externas.:



Gene é uma provinha do que virá pela frente, nos anos 40.
video

http://www.youtube.com/watch?v=uJzYKm1_Bvo

Com o Gene Kelly entramos nos anos 40, deixando para trás a inocência dos filmes de Fred Astaire. Mas ainda temos muito o que falar dos anos 30. Aguardemos os próximos posts.





Levic

segunda-feira, 1 de março de 2010

O "boom" nos musicais-1930 - 1ª parte





A década de 1930 pode ser considerada o início da "Idade da Febre dos Musicais", com uma maior variedade de veículos musicais e estrelas. Muitos arranjadores, letristas, maestros, instrutores de dança correrram para a Costa Oeste para fazer parte das iniciativas de fazer, participar, atuar ou colaborar em musicais.

Em particular, nos bastidores musicais, tornou-se notório que durante a Grande Depressão houve um incentivo à produção de um tipo de musical com personagens de uniformes das Forças Armadas, coristas à procura de marido rico, bem como a oportunidade para o estrelato de uma menina de coro preenchendo o lugar de protagonista, ou seja alimentando um imaginário de esperanças, que tanto precisava o povo norte-americano naquele momento.

Os estúdios Astoria, Paramount, estúdios de Long Island foram os primeiros a dominar o gênero musical. Alguns dos principais compositores e letristas, tais como Jerome Kern, Irving Berlin, Cole Porter e George Gershwin, começaram a escrever musicais para a tela original ou fornecer letras e música.



O estúdio associado com extravagâncias para estas produções foi a MGM. O filme estreante deste estúdio foi "Chasing Rainbows" (originalmente intitulado The Road Show) (1929), reunindo estrelas, como Bessie Love (como Carlie) e Charles King (com a canção e dança de Terry) , e com a melodia memorável "Happy Days Are Here Again", a canção da futura campanha presidencial para Franklin D. Roosevelt, em 1932.

Assim, os musicais experimentaram um crescimento significativo durante o início dos anos 30, muitos deles vindos de peças da Broadway com estrelas atraídas para o oeste, em Hollywood. Eddie Cantor foi atraído a Hollywood vindo da Broadway, onde fez seu primeiro filme sonoro "Whoopee!" (1930), baseado na produção "Flo Ziegfeld's Broadway 1928-1929". Nancy Carroll, que veio do cinema mudo, apareceu na comédia de Abie Rose (1928) , fazendo dela a primeira atriz de Hollywood para cantar e dançar em um palco de som. Carroll foi notável como a primeira estrela musical a surgir dentro de Hollywood.

"Whoopee!"


http://www.youtube.com/watch?v=ANRPmTZRqkg&feature=player_embedded


Nancy Carroll


http://www.youtube.com/watch?v=BHBRWPZo6BI&feature=player_embedded

Alguns filmes vieram da opereta do Metropolitan Opera. O melhor filme comédia musical da MGM foi "The Rogue Song"(Amor de Zíngaro) de 1930 em Technicolor, adaptado da opereta "Gypsy Love", de Franz Lehár, estrelado pelo barítono Lawrence Tibbett, em seu papel de primeiro filme musical (indicado ao Oscar de Melhor Ator), sob a direção de Lionel Barrymore e ainda o filme "New Moon", de 1930, refeito em 1940, com Lawrence Tibbett.

Clique para vê-lo cantando:
http://www.youtube.com/watch?v=MSdzLG-BVzs




http://www.youtube.com/watch?v=v2zDsFWIoFo&feature=player_embedded

O filme com a diva soprano Grace Moore vinda do Metropolitan Opera interpretando a protagonista do musical "A Lady's Morals" (1930), de Sidney Franklin, conta-nos de uma biografia romântica da cantora lírica sueca Jenny Lind e seus casos famosos.



http://www.youtube.com/watch?v=yE2fUCU1bDY&feature=player_embedded

Cada estúdio, no final dos anos 30, estava repleto de estrelas musicais do cinema mudo, onde todos sabiam cantar e dançar muito bem. Também os estúdios estavam equipados com números de variedades que continham atos 'vaudeville', esquetes cômicas, números musicais, dramas, curtas, ou outra espécie de produções que pudessem ser atraentes, onde alguns dos quais podiam ter seqüências de cores. Em muitos casos, os atores sem talento musical foram recrutados para esses filmes 'musicais revue' que eram essencialmente espetáculos de artistas famosos.

Uma dessas variedades foi o filme produzido pela MGM, indicado como melhor do ano, que é o "The Hollywood Revue of 1929", já colocado em posts anteriores neste blog.

A canção "Singin 'in the Rain" é apresentada pela primeira vez e o elenco estelar inclui Joan Crawford (Charleston, cantando e dançando "Gotta Feelin 'For You"), Marion Davies (com "Tommy Atkins on Parade" e também sapateado), Bessie Love (com "I Never Knew I Could fazer uma coisa como essa "), esquetes cômicas de Laurel e Hardy, Buster Keaton (com" Dance of the Sea "vestido como filho de Netuno) e Marie Dressler (cantando" Porque eu sou a Rainha "), e outras estrelas.



http://www.youtube.com/watch?v=7GdN_NncZkM&feature=player_embedded


O filme foi apresentado por
Jack Benny e Nagel Conrad e foi mais notável por ter apresentado uma primeira versão de "Singin 'in the Rain", cantada por Cliff Edwards durante uma tempestade no final da cena filmado em duas cores.


E é nesse modelo de espetáculos"musicais revue" que muitos outros filmes foram produzidos. Mas apesar do sucesso destas películas, depois de um certo tempo, cansou o público que já estava preferindo outro tipo de filmes, como o de gangsters. A novidade do som tinha acabado e com isso a popularidade dos musicais sofreu suas consequências. Por exemplo, sempre as mesmas estrelas da MGM, o excesso de produção de Hollywood Party (1934) com uma série de escritores e diretores.

O filme originalmente intitulado "Hollywood Revue de 1933", foi basicamente um desastre, tendo um enredo que exigia o encaixe de atores tão diversos como Laurel e Hardy, Jimmy Durante, Lupe Vélez, Polly Moran, Frances Williams e The Three Stooges.


Aconteceu um filme, entretanto, que marcou a direção dos musicais e que ganhou o Oscar que foi "Melody of Broadway of 1929", conforme já comentei anteriormente no post Nasce o Filme Musical. O sucesso deste filme fez renascer outros do mesmo tipo, mais tarde, como os três filmes que foram feitos pela MGM com títulos similares, "Broadway Melody de 1936", "Broadway Melody de 1938" e "Broadway Melody de 1940".

Todos eles tinham a mesma premissa básica de um grupo de pessoas para serem colocadas em um show (o filme também teve os mesmos membros do elenco inicial, desempenhando papéis diferentes, principalmente a dançarina Eleanor Powell, que apareceu em todos os três).

O filme original também foi refeito em 1940 com o título de "Two Girls on Broadway". Outro filme "Broadway Melody" estava previsto para 1942 (estrelado por Gene Kelly e Eleanor Powell), mas a produção foi cancelada na última hora. E o filme "Broadway Rhythm", um musical de 1944 pela MGM, era para ter sido originalmente intitulado "Broadway Melody de 1944".

O gênero tipo musical quase que realmente desencadeou em fracasso, mas felizmente aconteceu uma novidade que veio levantar o público com admiração pelos espetáculos, que foi quando o estúdio Warner requisitou o diretor e coreógrafo de dança Berkeley.




http://www.youtube.com/watch?v=sIFtUcCefrA&feature=player_embedded

No início da década, Busby Berkeley fora contratado por Sam Goldwyn como diretor de dança em quatro filmes com Eddie Cantor, onde Busby começou a mostrar seus talentos.
Em Whoopee! (1930), seu filme de estréia, o primeiro número de Berkeley era "Cowboys", com Betty Grable, e o filme também continha a primeira evidência de marca de Berkeley, o "top shot", em "Song of the Setting Sun". Em seu próximo filme, Berkeley continuou a demonstrar sua engenhosidade visual por ter utilizado cartazes para formar um trem no final da canção "Yes yes!".

Finalmente, em "Roman Scandals" (1933), expôs mais excessos , com a sua "No More Love" mostrando uma seqüência de moças eslavas louras que ficavam acorrentadas nuas a uma parede.



http://www.youtube.com/watch?v=Glnz45NZ_wk&feature=player_embedded

O filme da Warner, que deu nova vida à forma musical foi a produção executiva de Darryl Zanuck e do diretor Lloyd Bacon, que se chamou 42nd Street (1932/33), um drama que narrou o árduo trabalho de um diretor da Broadway atrás da realização de uma comédia musical, onde a vida (seja do diretor ou da corista) dependia do sucesso do show de abertura. A Warner Bros deu um show (com duas indicações ao Oscar de Melhor Filme e Melhor Som, sem vitórias) e também apresentou dois novos talentos, a Ruby Keeler (como uma menina de coro) e o tenor Dick Powell, e ainda foi estrelado por Ginger Rogers.




http://www.youtube.com/watch?v=SuqJJMSK15U&feature=player_embedded



http://www.youtube.com/watch?v=R0zrk_pPjf8&feature=player_embedded

Os estúdios da MGM também contribuiram para o fortalecimento dos musicais da década de 1930, filmando uma série de "cantores namorados" com o barítono Nelson Eddy e Jeanette MacDonald cantando duetos românticos em reproduções de operetas agridoces com temas românticos.




http://www.youtube.com/watch?v=R0zrk_pPjf8&feature=player_embedded

Depois disso, Jeanette MacDonald estrelou na versão cinematográfica da Paramount a opereta "A Vagabond King" (1930) ," One Hour With You" (1932) de Ernst Lubitch, e em mais um outro ela atuou sob a direção de Rouben Mamoulian no filme "O amor de conto de fadas" (não sei o título original), e ainda num outro musical da Paramount "
Love Me Tonight"(Ama-me esta Noite) (1932). Ela também estrelou na MGM , no filme " The Merry Widow"A Viuva Alegre (1934), com Maurice Chevalier, e em seguida, foi bem sucedida no par com Nelson Eddy. Eles atuaram em oito filmes juntos no período de 1935-1942.

love me tonight




http://www.youtube.com/watch?v=8az7fC8aJnc&playnext=1&list=PL14BCB0E5EA4E1037&index=65




http://www.youtube.com/watch?v=VinvK-xEhBg&playnext=1&list=PL8D370DA9CF4E0B43&index=19


"One Hour With You"


http://www.youtube.com/watch?v=gg1FRJpp99M&feature=player_embedded


Sem dúvida, foi uma das parcerias com maior êxito das telas : Nelson Eddy e Jeanette McDonald. Estrelaram juntos alguns filmes, como “Naughty Marietta”, “Rose Marie” e “Maytime”.