sexta-feira, 2 de julho de 2010

1937- Hide, Wide e Handsome (Alegre e Feliz)





"Hide, Wide, and Handsome" (1937)

(Alegre e Feliz)




Dirigido por Rouben Mamoulian
Produzido por Hornblow Arthur Jr.
Escrito por Oscar Hammerstein II
George O'Neil

Estrelando Irene Dunne
Randolph Scott
Dorothy Lamour

Música de Jerome Kern

Cinematografia Victor Milner
Theodor Sparkuhl

Edição por Archie Marshek
Distribuído por Paramount Pictures
Lançamento data 21 de julho de 1937
Tempo de duração: 112 minutos
País Estados Unidos
Idioma Inglês
Orçamento 1,9 milhões dólares


Elenco:

Irene Dunne ... Sally Watterson
Randolph Scott ... Peter Cortlandt
Dorothy Lamour ... Molly Fuller
Elizabeth Patterson ... Vovó Cortlandt
Raymond Walburn ... Doc Watterson
Charles Bickford ... Red Scanlon
Akim Tamiroff ... Joe Varese
Ben Blue ... Zeke
William Frawley ... Mac
Alan Hale ... Walt Brennan
Irving Pichel ... Sr. Stark
Stanley Andrews ... Lem Moulton
James Burke ... Stackpole
Roger Imhof ... Pop Bowers
Lucien Littlefield ... Sr. Lippincott

As Canções do Filme:

"High , Wild and Handsome"
de Jerome Kern e Oscar Hammerstein II
Cantada por Irene Dunne

"Can I Forget You ?"
Jerome Kern e Oscar Hammerstein II
Cantada por Irene Dunne

"Will You Marry Me Tomorrow, Maria ?"
por Jerome Kern e Oscar Hammerstein II
Cantada por William Frawley

"The Folks, who live on the Hill"
por Jerome Kern e Oscar Hammerstein II
Cantada por Irene Dunne

"The Things I Want"
por Jerome Kern e Oscar Hammerstein II
Cantada por Dorothy Lamour

"Allegheny Al"
por Jerome Kern e Oscar Hammerstein II
Cantada por Irene Dunne e Dorothy Lamour


Oscar Hammerstein II e Jerome Kern já tinham feito nome no teatro com "Show Boat", um exemplo imortal do teatro americano, que ainda é preservado e transformado em filme de 1935 pela produção da Universal, dirigido por James Whale, que é um filme maravilhoso onde apresenta a representação mais perfeita de Irene Dunne, que está incrível no papel de Magnolia.

No ano seguinte, a Paramount contratou Kern e Hammerstein para escrever um filme e certamente a dupla apareceu, escrevendo algumas canções para a grande Dunne cantar, e com isso também gerou duas canções das mais bonitas de Kern: "Can I Forget You?" e "The Folks Who Live on the Hill".

O título "Hide, Wide, and Handsome" (alto, largo e bonito) é meio estranho e pode estar se referindo ao ator Randolph Scott, ou ao cenário da velha Pensilvânia. O certo é que eles precisavam transmitir que o personagem protagonista é valente e forte, capaz de enobrecer o sonho americano de luta e poder.




"Alegre e Feliz", o nome que recebeu no nosso país, é dirigido por Rouben Mamoulian, como um drama-musical passado na Pensilvânia antiga, a cerca de 1850. Feito no estilo elaborado para a estrela Irene Dunne, após seu recente sucesso da versão cinematográfica de 1936 de Show Boat (Universal), e voando alto no seu período de filmes musicais (1935-1938) antes de se concentrar mais em comédias e dramas, Dunne faz par com o alto e robusto Randolph Scott pela segunda vez, sendo a primeira em "Roberta" (RKO Radio, 1935 ) ao lado do casal oposto Fred Astaire e Ginger Rogers.




O filme é ambientado na zona rural ocidental de Titusville, Pensilvânia . Em 1859, Walt Brennan da Railroad Tycoon quer tomar a terra de vários agricultores de perfuração de petróleo, que relutam liderados por Peter Cortlandt (com quem a personagem de Irene Dunne, Sally Watterson, apaixona-se). Brennan quer usar o terreno para construir uma ferrovia e os habitantes da cidade querem bloquear o plano, para em vez disso construir seus próprios canais de oleodutos. Uma manada de elefantes de circo entra em jogo para dar uma solução.

Pode-se dizer que é um dos melhores musicais "desconhecidos" , mesmo sendo considerado especialmente um triunfo para o diretor Rouben Mamoulian e os roteiristas Oscar Hammerstein II e George O'Neil. A configuração e o assunto da Pensilvânia, durante a "guerra do petróleo" do século 19 são incomuns para um musical, e eles são usados para mais do que apenas uma fachada. Realmente tem uma conotação político-social na história.

Alegre e Feliz quase desafia a classificação. Talvez seja melhor classificá-lo como um western comédia melodrama musical. Irene Dunne desempenha uma artista de circo itinerante, que se casa com o explorador de petróleo Randolph Scott . O casal vai para Titusville, Pensilvânia, em 1859, já que Scott está entre os garimpeiros afortunados que fizeram descobertas de petróleo.




Sem serviço de trem para as refinarias, os habitantes são obrigados a construir um gasoduto, que é realizado com o acompanhamento de vários números musicais, com as composições por Jerome Kern e Oscar Hammerstein.

O elemento vilão é representado por Alan Hale , que faz o seu melhor para bloquear o projeto para servir seus próprios fins malignos. Um velho amigo de Dunne do circo veio ao salvamento da confusão com uma manada de elefantes treinados! Alegre e Feliz foi confuso demais para a época e com isso não teve lucros de bilheteria, mas hoje é considerado por alguns círculos cinematográficos como um elogiado clássico.




Quando o filme foi planejado, tudo estava no lugar certo para a criação de um clássico do cinema musical - Irene Dunne foi uma indicação ao Oscar em 1931 e uma segunda vez para Teodora em 1936, bem como a estréia de um musical bem sucedido (Show Boat), Kern e Hammerstein estavam a bordo para criar o roteiro original e a música das canções. O enredo ainda lembrava o do vencedor do Oscar de Melhor Filme,( Cimarron), onde a chamada ao dever e lágrimas do trabalho do homem conduz o protagonista. Lá estava o cenário colorido e histórico da descoberta do petróleo na Pensilvânia em 1859 e da luta com os barões da ferrovia para construir um gasoduto para entrega do produto para evitar os custos ferroviários.Tecnicamente inovador o diretor Rouben Mamoulian estava a bordo também. Como este filme poderia ter fracasso?

Infelizmente, foi o que aconteceu. O problema pode ter residido em duas áreas. Tentando realizar muito coisa em um só filme causou uma divisão de três vias - estamos assistindo a um drama de ação, a um romance e a um musical - tudo ao mesmo tempo, mas ao invés de uma combinação perfeita, é como se três diretores diferentes estivessem manipulando três reinados díspares. Músicas, romance e ação precisam se combinar para tornar este filme um incomum como as batalhas do casal e os exageros locais da Bíblia , bem como os ferroviários corruptos, liderados por Alan Hale. Ao longo do caminho Dunne resgata uma cantora de saloon (Dorothy Lamour) e foge com um circo itinerante. Quer dizer, eles embalam um monte de histórias para este filme de 112 minutos.





A segunda área de fracasso foi a decisão de o filme ser em preto e branco. A produção grita para a cor com a panorâmica de várias tiragens de campo. Nessa época, a Paramount produziu alguns filmes Technicolor, nomeadamente "The Trail Of The Lonesome Pine" (1936) com Sylvia Sidney, e Ebb Tide (1937) com Frances Farmer. Como cinema é um dos filmes mais bonitos que já foi feito,mas com vista sobre esta pequena falha da falta de cor. Entretanto é um filme que vale a pena ver, pelo menos uma vez, e após o seu término, antes da fadeout final, fazer uma pergunta: por que este filme raramente é visto e está ainda tão desconhecido se ele é uma das jóias musicais do período da "idade de ouro de Hollywood"?.




"Alegre e Feliz" foi o filme mais caro feito na Paramount até à data e os chefes de estúdio foram confrontados com o problema desafiador na imagem de marketing para ganhar o seu dinheiro de volta. Enquanto o estúdio tinha fé no talento de Mamoulian, na interpretação de Irene Dunne, na composição de Jerome Kern, e no roteiro do escritor Oscar Hammerstein II, houve uma imensa preocupação com que o filme não tinha um líder, um homem forte que deve estar em Randolph Scott e daí talvez o título se encaixe.




Hammerstein originalmente escreveu a história como um veículo para Gary Cooper e Dunne. No entanto, duas semanas antes das filmagens começarem Cooper optou por sair do papel para estrelar Almas no Mar (1937) a pedido de seu amigo, o diretor Henry Hathaway. Dunne pediu a Mamoulian para lançar Scott , uma vez que ela havia acabado de trabalhar com este ator no filme Roberta (1936).

Quando o filme foi exibido antecipadamente para os críticos de Nova York em 21 de julho de 1937, A Variety observou vários ítens que obrigaram o diretor a voltar para a sala de corte para criar o efeito geral de uma América romantizada, o que agradaria a públicos de todas as idades. Quando o filme estreou em 1 º de outubro, foi recebido com críticas, se bem que em sua maioria positivas, mas lutou nas bilheterias com o preço sem precedentes de US $ 2,20 por bilhete.

Alegre e Feliz é uma pérola esquecida dentre os filmes do ano de 1937. Jermone Kern e Oscar Hammerstein criaram esta aventura musical para a tela certos da popularidade da versão cinematográfica de 1936 de seu musical, Boat Show, que também estrelou com a grande Irene Dunne .


História e Sinopse:

O filme se baseia em uma tradição de ser um musical tipo opereta e antecipa as inovações de Mamoulian em" Love Me Tonight" e sua fase de produção de Oklahoma! Ambos são dramas românticos com populistas sentimentos políticos que reforçam os valores tradicionais americanos. Fala da história do nascimento conturbado daindústria do petróleo nos Estados Unidos como pano de fundo para o romance de um agricultor da Pensilvânia e uma alegre bela cantora de um show de medicina ambulante.

A história de Hammerstein é vagamente baseada na descoberta da vida real do petróleo em Titusville, Pensilvânia em 29 de agosto de 1859 pelo Coronel Drake e El "Billy Uncle" Smith. A batalha épica travada pelos fazendeiros contra os magnatas da ferrovia, que recorreram ao seu poder financeiro para impedir a conclusão dos gasodutos para as refinarias, na esperança de controlar a recém-formada indústria, talvez seja mais apropriado para um melodrama, ainda que Mamoulian dê o seu toque musical, transformando em uma agradável experiência.

O filme começa com Sally Watterson (Irene Dunne), uma jovem viajando com o pai para difundir remédios, uma espécie de medicina ambulante, ele chamado "Doc" (Raymond Walburn), cantando a música-título. Eles se estabelecem em uma cidade da Pensilvânia. Como "Doc" tenta vender alguns frascos de remédio para seus patronos, o espectador Peter Cortlandt (Randolph Scott) acha que é uma prova de ser uma fraude, o que resulta em uma briga no meio da multidão, danificando a carroça de remédios. Após o seu vagão ter sido destruido, eles são acolhidos por um fazendeiro local (Randolph Scott) que é o próprio Peter Cortlandt e sua avó
(Elizabeth Patterson).

Sendo dada a hospitalidade de sua casa pela avó de Peter, Sally resolve ganhar seu sustento, ajudando com os animais da fazenda, e logo começa a conhecer e amar Peter, um explorador de petróleo, com quem mais tarde ela eventualmente se casa. É claro que Scott se apaixona por Dunne, mas seu amor é desviado por suas idéias para a perfuração de petróleo.

Assim seu casamento, em primeiro lugar, é uma união feliz, até que Peter negligencia a atenção a sua esposa em favor de manter sua promessa com os fazendeiros vizinhos, de se unirem para construir um oleoduto, a fim de evitar que Red Scanlon (Charles Bickford), um presidente corrupto da estrada de ferro, possa monopolizar o setor.



Depois que Sally é encontrada divertindo-se em cima da mesa no bar com Molly (Dorothy Lamour), uma garota de saloon que ela e Peter já havia resgatado de um linchamento, o casal se depara com a separação, o que envia Sally a voltar a vida divertida no show do circo que está de passagem na cidade, enquanto Peter tenta realizar seu sonho, mostrando-se que este é mais importante do que tentar encontrar Sally e resolver suas questões.

A elaborada e bem encenada seqüência com milhares de garimpeiros na corrida contra o tempo para obter a conclusão do oleoduto gigante é quase igual ao filme de Vidor, na conclusão do Our Daily Bread (1934), onde os peões são vistos correndo para cavar um canal para salvar suas lavouras, mas só que com esta produção um bônus de robustez foi dado às cenas de luta e ao suspense em que o Scott, inconsciente, é quase esmagado pela queda de um tubo que passa a centímetros de sua cabeça.

Enfim, o final da cena da manada dos elefantes parece que ajuda a resolver as questões suspensas.

Quase me esqueci das músicas:
"High, Wide and Handsome,"
"The Simple Maiden,"
"Can I Forget You?" (todas cantadas Irene Dunne);
"Will You Marry Me Tomorrow, Mary?" (cantada por William Frawley);
"The Folks Who Live on the Hill" ( Irene Dunne);
"The Things I Want" ( Dorothy Lamour);
"Allegheny Al" ( Dunne e Lamour)
"Can I Forget You?" ( Dunne).




http://www.youtube.com/watch?v=mOI9hF2tJBw&feature=player_embedded



http://www.youtube.com/watch?v=sIvhg5Pld3E&feature=player_embedded



http://www.youtube.com/watch?v=CzjqT67AIxU&feature=player_embedded







Até mais.

Levic

Um comentário:

  1. a dupla dunne e kern são o máximo.bom trabalho

    ResponderExcluir